♥ 498 notes | post details | reblog

♥ 100 notes | post details | reblog

""Cada pessoa é um mundo", eles dizem, enquanto sigo alheia, sentada na lua. Tudo o que faço é flutuar no meio do nada e sentir falta de como as coisas costumavam cair e espatifar-se contra o chão. Eu seria capaz de chorar e aplaudir o espetáculo da gravidade e do tempo derrubando até os meus seios. Mordo meu próprio lábio e careço dos abraços quentes. E de deitar na areia. E dos grãos teimosos entre os meus dedos. E do amor que fazia minha cabeça explodir quase tão intensamente quanto explodiria se eu me livrasse do capacete agora. Imploro por vida. Por respostas. Por qualquer reviravolta que faça a barriga doer de tanto rir ou que aperte-me os órgãos de tanta dor. Por qualquer coisa que não seja esta eterna espera pela mais insignificante forma de vida. E que função infeliz, essa de esperar… Ter estampado na pele o sentimento antitético de viver e ver-se morto. De que adianta a vida sentada à beira desta cratera, neste silêncio sepulcral, então, se daqui nada atinjo, nada sinto, nada sou? Eu sou o que toco. O que sinto. O que choro. Eu sou as flores que planto e deixo morrer. Eu sou os beijos que dou, e as lágrimas que derramo, e as cartas de amor que escrevo e nunca mando. Eu sou o apertar desesperado de todos os botões desta nave na esperança de que um deles possa trazer de volta ao meu interior aquele frescor de quem acabou de sair do banho. Eu sou cada segundo que aguento debaixo d’água ou cada fragmento de tempo que posso suportar sem capacete até que minha cabeça exploda diante do vácuo absoluto e que a radiação me toste cada átomo. Eu não sou a certeza de estar livre da dor. Nunca fui. E para mim, Houston, o problema é não ter problema nenhum. O caos deste Universo é uma dádiva, e sendo assim, me dispo e me entrego a ele. É de onde vim e para onde vou."

- Serinus canaria (via oxigenio-dapalavra)
♥ 46 notes | post details | reblog

"Vazio peristáltico: eu não consigo sair do lugar. É a imobilidade inconsequente de quem flutua sobre sentires. Uma aplanação cósmica que pesa sobre o escolhido corpo. Meus tímpanos ficam cada vez mais distantes do cérebro, eu visualizo o túnel que o som precisa percorrer para que eu o ouça, e são baterias desgovernadas e arrítmicas, são porcarias alimentando toda uma sujeira que me tornei. O colapso do movimento se instaura no preciso momento em que respiro, e o ar inalado é uma resposta também: há vida fora da estaticidade da qual pairo. Poderia insultar todo o universo destacando o quanto destruí qualquer forma de vida que eu possuía ou chegasse a possuir, mas a lentidão com que o som demora a cursar o túnel interminável me priva de qualquer ação concreta. Formigas são mais espertas que minha consciência, elas ainda agem. Porém, eu respiro. E tal ato inerente à capacidade de existir me desloca no espaço. Corro mesmo surdo, mas corro. Olho para trás e vejo minha sombra aniquilada. Uma réstia de escuridão que ainda me acompanha, pois todas as outras ficaram ocultas nas escolhas controversas que fiz e nos sonhos que tentei materializar. Minha pele, além de protetora, é vidente dos maus presságios que a arraigam. Ela parece sentir o chão antes mesmo de tocá-lo, porque eu tombo."

- Júnior Cunha (via oxigenio-dapalavra)
♥ 223 notes | post details | reblog

"Sou o oposto
do verso
tu és brisa
eu, concreto."

- Elisa Bartlett    (via oxigenio-dapalavra)
♥ 3,970 notes | post details | reblog

♥ 66,241 notes | post details | reblog

♥ 186 notes | post details | reblog

Se eu não choro eu afogo,
apronto pra dentro de mim.
Vou morrendo em silêncio,
nem sabem que eu fico assim.
Morro na fila do banco,
no banco no fim do jardim.
Morro quando acordo cedo demais,
quando olho pro teto e vejo o vazio sem fim.
Eu morro aos finais de semana,
quando a vida gira, gira, gira.
E eu não aprendi a girar assim.

Jorge de Castro

♥ 379 notes| post details | reblog

 
♥ 7,077 notes | post details | reblog

♥ 2,146 notes | post details | reblog

♥ 698 notes | post details | reblog

♥ 5,590 notes | post details | reblog

♥ 4,042 notes | post details | reblog

 

Sei arrumar malas para viagens baseadas em tempo, mas quando se arruma para sempre, o que se leva?

♥ 40 notes| post details | reblog

♥ 2,020 notes | post details | reblog